terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Bob Fernandes comenta a Propina de US$ 100 milhões no governo FHC e o tabu contra a Regulação Econômica da Midia, fator para combater o gritante atual monopólio e democratizar as comunicações



Segue vídeo - e sua transcrição textual - de mais um brilhante comentário do analista político Bob Fernandes:

video


Bob Fernandes / Propina de US$ 100 milhões no governo FHC e o tabu Regulação Econômica da Midia

Cerveró cita propina de US$ 100 milhões para governo Fernando Henrique Cardoso na compra da petroleira argentina Perez Companc pela Petrobras.
Algo a ser ser provado, assim como nas demais delações.
Prisões espetaculares de megaempresários e políticos, manchetes e coberturas devastadoras...
A depender do político. Para uns mais, ou menos, do que para outros...
Tais fatos e cenas dão a impressão de já não existirem tabus para a democracia brasileira. É só impressão.
Tabus existem, são mantidos por ampla, consensual imposição do silêncio. Há pouco um destes tabus foi debatido pelo canal, em rede social, "Quebrando o Tabu".
Entre os debatedores, Fernando Henrique Cardoso. No debate, o tabu Regulação Econômica da Mídia.
Provocado por Jean Wyllys, Fernando Henrique recordou tentativa de promover lei "antitruste", antimonopólio no setor, quando era presidente.
Seu então ministro das Comunicações, Sergio Motta, fez audiências públicas, chegou a seis minutas de anteprojeto. Tudo foi engavetado. FHC relata por quê:
-Tentamos, mas é muito difícil porque os interesses são muito grandes, se juntam contra. E agora não são só interesses das grandes empresas...
Segundo Fernando Henrique, "agora existem os interesses também" de "religiões". Constata o ex-presidente:
-No Congresso não tem apoio de ninguém (para Regulação), se fica lutando e dando murro em ponta de faca...
O ex-presidente percebe: a cada tentativa de abordar o tema ressurge a alegação de "ataque às liberdades", de censura.
Esse é um falso dilema. Censura, autocensura, surgem quando não há oxigênio econômico para expor diferentes informações e opiniões, para ter-se pluralidade real, efetiva.
Coração do capitalismo, Estados Unidos e Inglaterra têm Regulação e Instituições que buscam enfrentar monopólios no setor de Mídia.
Europa ocidental, Austrália, Japão... o chamado "mundo democrático" todo regula o espaço econômico para Mídia.
Sempre haverá quem queira censura, mas censura não tem apoio da sociedade, não passa no Congresso. O que há, e determina, são os privilégios, o temor de enfrentar o tema.
Todos presidentes pós-ditadura não tiveram coragem para promover o debate na sociedade e levar ao Congresso a Regulação Econômica da Mídia.
Com 5.570 municípios o Brasil é vastíssimo continente.
Sem regras que impulsionem diversidade, pluralidade de informações, visões, o que se tem e terá é monopólio nas narrativas, um simulacro de democracia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá... Aqui há um espaço para seus comentários, se assim o desejar. Postagens com agressões gratuitas ou infundados ataques não serão mais aceitas.